Paulo Bartolo

Website oficial do Profº Paulo Bartolo

Professor de Karate-Do Twitter do Sensei Bartolo Facebook do Sensei Bartolo

Notícias » Conheça um pouco sobre Mestre Sasaki

Inserida em: 21/02/2008

Mestre Yasuyuki Sasaki nasceu em 08 de março de 1946 na cidade de Hokaido no Japão. Quando sua família veio ao Brasil, no pós-guerra, ele já era um apaixonado pelo karate. ?Devo isso a meu pai, que me incentivou desde criança a praticar Budo. Primeiro fiz judô no primário e aos 17 anos já era faixa preta de karate. Meu pai já praticava caratê e eu era obrigado a treinar junto com ele. E, para manter o corpo forte, quando vim para o Brasil continuei treinando?. Foi assim, com o pai, ex-piloto da força aérea nipônica, ?culturalmente favorecido?, que Yasuyuki Sasaki deu os primeiros passos no esporte. Mestre Sasaki conta que o pai, depois de lutar na Segunda Guerra Mundial e de sofrer quatro ou seis quedas em aviões, já não estava em condições físicas de ser piloto e veio com a família para o Brasil, em 1958. Com 14 anos, em um país bem diferente do seu - a começar pela língua - Sasaki se dedicou aos estudos e ao caratê. Nessa época não dava para viver de karate, e ele foi fazer um curso técnico de eletrônica. ?Mas estava decidido a entrar na universidade. Não gostava de perder, nem na escola.? Dito e feito. Em 1969, com parco conhecimento de português, ingressou na Escola de Educação Física da USP. No mesmo ano, foi bicampeão paulista, mas atenção: não havia torneios como se conhecem hoje. Apenas desafios. Era o bambambã do boxe contra o tal do jiu-jítsu, o melhor do kyokushin contra o do shotokan. E Sasaki foi ganhando títulos, até que derrubou o tricampeão mundial Massahiko Tanaka. "Daí eu fiquei famoso", diz, sem disfarçar o orgulho

Em 1972, formou-se em Educação Física pela USP. ?Meio atleta, meio professor, começei a dar aula aqui na Universidade?, conta o Sensei. Na época, Sasaki já era o primeiro bi-campeão paulista, em 1969 e 70 - e o título estadual o professor conquistaria outras 14 vezes. Desde 1965, realizou inúmeras especializações em Tóquio, no Japão. ?Eu fui aluno de muitos professores: M. Nakayama, T. Higashino, Y. Tanaka, J. Sagara. Treinei com os professores M. Tanaka, Yahara, Osaka, T. Oishi, T. Okuda, T. Asai, Shimada, etc...? diz o mestre confirmando sua formação e capacitação pluralista. Logo que foi criado o CEPEUSP , Sensei Sasaki recebeu o convite para dar aulas. Trabalhou de graça um ano, até que em 1973 foi contratado. Na USP conheceu sua esposa Ruth, com quem teve duas filhas: Luciana é médica e Alessandra é dentista. E elas praticam karate? Sensei responde: Elas fizeram até a faixa laranja, mas eu queria que fossem atletas, forcei demais e elas desistiram. Foi doloroso. O passarinho precisa do ninho aquecido, mas nahora de nascer , quebra o ovo sozinho. Eu, como pai, esquentei demais o ninho, e elas desistiram.? Desde então coleciona vitórias. Além dos títulos de campeão brasileiro e pan-americano, como combatente e técnico, em 2006, foi 3º colocado no Campeonato Mundial dos Mestres, realizado em Gotemba no Japão e já ministrou palestra de Filosofia de Artes Marciais no Japão e Prática do Karatê, na University Southern California- USA. Recebeu o título de cidadão honorário de São Paulo em sessão solene realizada às 19h30 do dia 18 de setembro de 2006, no Plenário 1º de Maio da Câmara Municipal de São Paulo. A homenagem foi uma iniciativa do período em que o suplente Jorge Perez (PFL) assumiu no lugar da vereadora Bispa Lenice (PFL), que havia se licenciado por razões médicas. Além dos citados parlamentares, o evento contou com a presença do Dr. Go Tani, diretor da Escola de Educação Física da USP. Este fato está singularmente ligado à tradição do caratê: ?o objetivo das artes marciais é formar um bom cidadão, útil a sociedade, lúcido, com confiança?. Sasaki é portador de 8º Dan reconhecido pelo Ministério da Educação do Japão. Não abre mãos do treinamento embora tenha encargos burocráticos por cuidar da parte técnica da JKA no Brasil. Sasaki mantém sua rotina de acordar às 5hs, fazer meditação e às segundas , quartas e sextas, das 6:30 às 7:30 treina karate. Depois disso dá aulas na Lenbu-kan e na USP. O segredo de sua vitalidade, diz, está na respiração. ?É no Tanden ( força abdominal) que está a energia. Quando se é jovem, não é preciso tanto dele, mas com a idade é necessário controlar as reservas, sair do zero para a explosão.? Sasaki é um feroz defensor das origens das artes marciais, mas não contra as competições de karate. ?O torneio é necessário para enfrentar o medo, a ansiedade, buscar autoconfiança.? A verdadeira essência da arte marcial, diz, é compensar a desvantagem física com o apuro da habilidade técnica e domínio da parte espiritual. ?No esporte, nem sempre isso acontece. Na maioria das vezes, vence o mais forte. Com a arte marcial, o mais fraco pode vencer um adversário maior.? Tive oportunidade de conhecer meu mestre, Yasuyuki Sasaki, no início da década de 80 quando comecei a disputar os torneios universitários e campeonatos paulistas. Fiquei amigo de seus alunos da época, como Johannes Freiberg, Robson Maciel, Abraão, Rui Tadaharo, entre outros, e comecei a participar de gashukus por ele promovido na sede da Kokushikan em São Paulo. Em 1985, a final do campeonato paulista de equipes de kumite foi entre Lenbukan e Okinawa, a qual eu fazia parte. Empatei minha luta com o Abraão, na luta entre Sérgio dos Santos(Okinawa) e Paulinho(Lenbukan) ambos foram desclassificados e perdemos as outras três lutas para Robson Maciel , Johannes Freiberg e Rui Tadaharo . Perdemos o título, mas tomei uma grande decisão na minha vida. A partir daí comecei a treinar exclusivamente com ele na Lembu-kan em São Paulo e seguir o seu modelo de ensinamento. Apesar da distância e de meus compromissos profissionais, sempre mantenho viva em meu Dojô, a inspiração que ele transmite aos seus alunos, o seu amor e dedicação ao karate. São 25 anos de convívio onde aprendi e aprendo muito.


Envie seu comentário!

(* Campos de preenchimento obrigatório)

Lista de Comentários